Busca
  • portaldiaadia_am
  • @diaadia_am
  • diaadia_am

Homem é preso após agredir a própria filha por não aceitar o término do relacionamento com a mãe da criança no AM

O criminoso jogou a criança no chão de sua residência e a agrediu, causando lesões em seu corpo

Homem é preso após agredir a própria filha por não aceitar o término do relacionamento com a mãe da criança no AM Foto: Divulgação Notícia do dia 11/01/2024

Da Redação

Manaus (AM) - A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), com apoio da Delegacia Fluvial (Deflu), prendeu em flagrante, na terça-feira (09/01), um homem, 26, por lesão corporal dolosa contra a própria filha, uma criança de 2 anos. Ele foi preso em uma comunidade próxima ao Lago do Janauari, zona rural de Manaus.

 

Segundo o adjunto da unidade especializada, delegado Paulo Benelli, na tarde de segunda-feira (08/01), a Depca recebeu uma informação do Hospital e Pronto-Socorro (HPS) da Criança Zona Leste – Joãozinho, a respeito de uma criança que teria dado entrada na unidade hospitalar, com sinais de agressões e estaria internada em estado grave.

 

“De imediato, nos deslocamos ao hospital, conversamos com a equipe médica, constatamos as lesões graves e conversamos com a assistente social do local e com a mãe da vítima, que  nos relatou que o responsável pelas agressões seria o pai da criança e contou, ainda, que ela está em processo de divórcio com o homem, que não aceitava o término do relacionamento”, relatou o delegado.

 

No dia do crime, o indivíduo, acrescentou o delegado, o suspeito tinha pego a vítima para passear, sob respaldo da mãe, e a levou para sua casa. Após o almoço, a genitora pediu que ele levasse a criança de volta, mas ele se negou.

 

Segundo o adjunto, diante da negativa do suspeito, a mãe pediu para a avó paterna da criança interferir na situação, momento em que o homem, com raiva, falou que não iria entregar a criança e a jogou no chão e a agrediu. Em seguida, ele saiu da residência, situada no bairro Tarumã, zona oeste.

 

“A avó da criança tomou a primeira providência de levar a vítima até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Campos Sales, no entanto, devido à gravidade, os médicos decidiram transferir a criança para o Hospital e Pronto-Socorro da Criança. É importante ressaltar a atuação da rede de apoio e proteção à criança, pois a equipe médica, assim que tomou conhecimento da agressão à criança, fez as comunicações legais à Polícia Civil, possibilitando que fizéssemos a primeira diligência para identificar a autoria”, disse.

 

De acordo com o delegado, logo depois de tomar conhecimento do caso, o depoimento da mãe da criança foi coletado ainda no hospital, foi feito o Boletim de Ocorrência (BO) e requisitado todos os exames necessários. Além disso, toda a equipe de investigação da Depca foi mobilizada para localizar o autor.

 

Diligências

“Iniciamos as diligências ainda na noite de segunda e ficamos ao longo de terça-feira, em uma busca incessante para realizar a prisão em flagrante do indivíduo. Fomos em residências de familiares e em endereços cadastrados pelo criminoso em bancos de dados oficiais. O homem já tem passagem pelo crime de violência doméstica”, falou.

 

Ainda conforme Benelli, durante as diligências ininterruptas, desta vez pelo Centro de Manaus, os policiais civis da Depca receberam informações sobre a localização do homem, que estava em uma comunidade próxima ao Lago do Janauari.

 

“Pedimos apoio da Delegacia Fluvial para nos deslocarmos até ao local e, por volta das 15h de terça-feira, conseguimos efetuar a captura dele e conduzi-lo até a Depca, para os devidos procedimentos. A mãe dele também compareceu à delegacia e confirmou que presenciou as agressões contra a criança. Continuaremos investigando quais teriam sido os tipos de agressões”, disse.

 

O delegado informou que a Depca está em contato constante com a equipe médica do Hospital e Pronto-Socorro da Criança e que o estado de saúde da criança é estável. Ela passou por cirurgia e permanece internada, sob cuidados médicos.

 

O homem responderá por lesão corporal grave e lesão corporal em razão da violência doméstica e ficará à disposição da Justiça.