Busca
  • portaldiaadia_am
  • @diaadia_am
  • diaadia_am

Políticas públicas de Cultura no Amazonas estão em debate na 3ª Conferência Estadual de Cultura

Abertura do evento foi realizada na manhã deste domingo (21/01), no Centro de Convenções Vasco Vasques

Políticas públicas de Cultura no Amazonas estão em debate na 3ª Conferência Estadual de Cultura Foto: Divulgação Notícia do dia 22/01/2024

Da Redação

Manaus (AM) - Com o objetivo de debater políticas públicas de Cultura e elaborar propostas a serem levadas para Brasília, durante a 4ª Conferência Nacional de Cultura, que acontece de 4 a 8 de março, foi aberta neste domingo (21/01), a 3ª Conferência Estadual de Cultura, que se estende até terça-feira (23/01), no Centro de Convenções Vasco Vasques.

 

O encontro reúne a classe artística, fazedores de cultura, sociedade civil e mais de 150 delegados eleitos e homologados no interior do estado e na capital durante três dias de intensos debates sobre os rumos da cultura nos próximos anos.

 

Tanto a conferência nacional quanto a estadual têm como tema central  “Democracia e Direito à Cultura” para nortear as discussões e direcionar as propostas locais e nacionais. Na conferência estadual também serão escolhidos os delegados que irão representar o Amazonas na capital federal, em março.

 

Um dos pontos fortes do encontro cultural é a participação das delegações do interior do estado. A professora Albernice Teixeira Peixoto foi eleita delegada durante a 1ª Conferência Municipal de Cultura de Nova Olinda do Norte (a 135 quilômetros de Manaus). A saga para chegar à capital é uma comprovação de que a vontade de pensar e fazer cultura supera qualquer dificuldade.

 

“Nós viemos de Nova Olinda ontem. Saímos meio-dia de lancha até a comunidade do Rosarinho. Aí a gente pegou um ônibus até Autazes. Em Autazes, a gente pegou outra lancha e chegou na estrada AM-254, onde são, aproximadamente, uns 93 quilômetros até o Careiro da Várzea, de onde pegamos outra lancha, que atravessa o Rio Negro, e chegamos aqui em Manaus”, conta Albernice.

 

Para a professora e delegada, no Amazonas as discussões sobre a cultura se tornam ainda mais importantes em razão da diversidade cultural do Estado. “Cada município tem a sua característica. Por mais que nós sejamos amazonenses, amazônidas, cada cidade, cada município, recebeu de uma forma bem específica as raízes de cada povo indígena que ali residia, e também com as características dos imigrantes que vieram depois”, opina Albernice.

 

Segundo a professora, a cultura tem ganhado mais importância em Nova Olinda do Norte nos últimos tempos. “Ultimamente, a gente tem dado muita importância porque a cultura é a raiz, é a identidade de um povo, e Nova Olinda tem uma cultura muito rica, a diversidade do povo lá é enorme, é imensa. Por isso, quanto mais a gente valorizar a nossa cultura local, mais identidade nosso povo vai ter,”, ensina.

 

Diversidade da cultura

 

Representando a ministra da Cultura, Margareth Menezes, o diretor de assistência do Ministério da Cultura (MinC), Thiago Rocha Leandro, afirmou que o MinC faz questão de estar presente em todos os estados da Federação e está em estado de conferência permanente desde o ano passado.

 

“Cada estado desse país tem uma contribuição própria, tem suas peculiaridades, suas demandas locais, que precisam ser ouvidas, entendidas, acumuladas, para que na etapa nacional, que vai ocorrer de 4 a 8 de março, nós possamos dar conta dessa grande diversidade da cultura brasileira”, afirmou Thiago Rocha.

 

Segundo o representante do MinC, participar da Conferência Estadual do Amazonas é motivo de muita alegria. “Está muito bonita, muito bem organizada, bem representativa, foram mais de 30 municípios aqui no estado que organizaram as suas conferências. Eles estão aqui na etapa estadual e vão tirar uma delegação para ir lá em Brasília, junto com as outras delegações estaduais, discutir a política pública de cultura brasileira. Da cultura do país”, declarou.

 

De acordo com o secretário de Cultura e Economia Criativa do Amazonas, Marcos Apolo Muniz, o diálogo direto com o governo federal levou a esse momento importante de realizar a Conferência Estadual de Cultura.

 

“Uma belíssima estrutura para receber tanto os artistas quanto os gestores, não só da capital, mas também dos municípios do Amazonas, para debater aí propostas, ideias que vão para participar da conferência nacional e entrar aí tanto no plano nacional de cultura como também fazer parte do nosso plano estadual”, disse o secretário.

 

Marcos Apolo também afirmou que a proposta trazida pelo MinC casou com as determinações do governador Wilson Lima. “O governo Wilson Lima, desde quando começou a sua gestão, vem falando em nós estabelecermos esses novos marcos nas políticas públicas de cultura no estado do Amazonas”, afirmou.

 

O secretário de Cultura ressaltou ainda a importância da conferência para o setor nos próximos anos. “Acima de tudo, essa consagração, esse encontro, essa grande festa que nós estamos realizando num debate aberto e democrático, será importante para que a gente possa nortear os próximos 10 anos das políticas públicas de cultura do nosso estado”, declarou.